7.7.07

EM CENA

Uns olhares vieram de fora contribuir coletivamente com o esboço de uma cena da música mineira, aquela que um dia se delineou e seguiu se constituindo aos poucos, como micro-coletivos isolados, talvez por isso enfraquecidos. Veio assim à vista essa cena, logo depois das discussões que rolaram no Stereocubo, programa de debates do projeto Stereoteca que em 2007 trouxe pra pauta o tema “Música daqui pra frente” e como referência o Espaço Cubo, um coletivo muito ativo que fez a cena rock do Mato Grosso despontar nacionalmente.

Veio junto com esse coletivo a percepção dos pilares que fazem um mercado cultural acontecer direito, com direito a tudo o que determina a cadeia produtiva da cultura. Uma lógica do mercado acrescida de toda a liberdade criativa da arte. É assim que eles fazem: entendem de processos e se permitem chegar a soluções criativas para que a produção artística siga bem aventurados rumos, Brasil afora, ou melhor dizendo, a dentro.

Como a moçada não para de fazer a coisa acontecer (é dinâmico mesmo) siga os atalhos e descubra na rede tudo o que eles fazem por aí. Aqui algumas idéias, desdobramentos da intensa temporada de debates que rolaram em terras mineiras, eles contando de lá, trocando com a gente aqui, botando pilha no processo.




A princípio pitadas de influências do centro-oeste do Brasil, de onde eles vêm, e do norte, onde eles mantêm várias articulações. É um processo diferente visualizar eles que são como a gente à frente de iniciativas muito criativas, coletivas e talvez por isso muito viáveis. Primeiro as referências, pra ajudar a juntar os fatos. Na seqüência, o encontro de muitos de Minas que estão na mesma, ali juntos em torno de um mesmo assunto – foram 6 mesas de debate que buscaram cobrir as diferentes etapas do trabalho com a arte e a cultura, à frente delas profissionais daqui e de outros cantos do país - dá uma olhada na programação.

Depois disso o link, a interseção entre fatos comuns, a mesma juventude, os mesmos “tempos de cólera”, o mesmo pique, particularmente várias oportunidades, bem como específicos buracos a serem preenchidos. Levantada toda a poeira, o arremate veio certeiro. Em terra que fez Reciclo Geral, tem Música Independente, Stereoteca e Conexão, tem produção ativa e potencial, onde tem Rádio Inconfidência e Rede Minas de Televisão com comando profissional e os músicos já se organizaram em associações, a costura tá no ponto de começar.

5 comentários:

luiz navarro disse...

vamo que vamo...

Cristiana disse...

Você fez falta ontem, Lud. Sábado tem mais. Muitas idéias no embornal.

mundo música disse...

Lud,lud,lud, vamo lá no sábado?? Bjim

Cris Ventura disse...

Achei legal o stereocubo, tá rolando mais encontros, discussões?
Tava a fim de fazer umas propostas..
Cris

israel do vale disse...

que os bons ventos nos ajudem a achar o norte. 'boral� minha gente [todos juntos vamos, pra frente brasil...].

em tempo: quando � nossa pr�xima reuni�ozinha? e a boa musical da semana, qual�?

aquele. israel do vale